A Proibição de VPNs na China

Se você é daqueles que não perde uma atualização dos seus amigos no Facebook ou procura qualquer informação no Google, há algumas más notícias esperando por você se quiser viver na China. Este país baniuoficialmente o uso de VPNs e eles estão tornando a vida mais difícil para aqueles que tentam contornar essas restrições.

Com a relação entre a China e os EUA não sendo tão boa, a China desenvolveu sua própria política de Internet há muito tempo. No entanto, havia pessoas que ainda conseguiam ignorar políticas usando uma VPN. Na verdade, a luta para impedir o uso de VPNs não é apenas para gerenciar as políticas de Internet do país. É também uma maneira de restringir as companhias que estão fornecendo esses serviços.

O Grande Firewall da China

Você pode se deparar com este termo algumas vezes enquanto procura as melhores VPNs para usar na China, mas nunca prestou atenção ao que isso realmente é. Bem, o conceito é bem fácil. Assim que você entrar na China, não poderá acessar mais o Facebook, o YouTube, o Google nem o New York Times, por exemplo. A política de Internet altamente restrita na China proíbe todos esses sites. Eles têm o seu próprio mecanismo de pesquisa, seus próprios sites de redes sociais e assim por diante. Então, por que exatamente o Grande Firewall da China foi implementado?

Muitos sites restritos

A China é um país de partido único. O presidente aumentou as restrições on-line no país, especialmente depois que as relações com os EUA pioraram. O principal problema começou como uma reação à morte de Liu Xiaobo, vencedor do prêmio Nobel da Paz, que escreveu um manifesto pedindo uma reforma na democracia chinesa.

Não só o Facebook foi bloqueado, mas também foi criada uma lista de restrições que reduz a liberdade das Redes Privadas Virtuais (VPNs). Isso significa que ficou ainda mais difícil ignorar as políticas de Internet na China. Anteriormente, as pessoas que tinham planos de morar na China por cerca de um mês compravam um serviço VPN. Dessa forma, eles poderiam acessar os sites que geralmente eram proibidos no país.

Muitas empresas responsáveis ​​pelo fornecimento de serviços VPN foram removidas das lojas online. Apenas VPNs aprovadas pelo governo são permitidas. Isso significa que os usuários podem usar uma VPN aprovada, mas provavelmente a empresa fornecerá logs de atividades ao governo.

Qual o motivo da proibição de VPNs?

O uso de sites estrangeiros tornou-se uma preocupação para o governo da China por causa do impacto que as suas idéias e mentalidade podem ter sobre a população. Informação e diferentes pontos de vista são temidos pela maioria dos países autoritários.

Uma das coisas que preocupam o governo é que os cidadãos chineses usem uma VPN para acessar sites estrangeiros e criticar o Estado Chinês. Por exemplo, os fóruns relacionados com política, como as relações Chinesas e Tibetanas, são fortemente monitorados e censurados.

Conteúdo estrangeiro censurado

A tensão entre a China e alguns países estrangeiros desempenhou um papel importante na criação de algumas medidas drásticas. Após a implementação do Grande Firewall da China, os endereços IP de jornais estrangeiros foram restringidos. A comunicação com universidades estrangeiras também foi cortada.

A Origem da proibição

O Great Firewall of China foi estabelecido no início dos anos 2000, quando o Golden Shield Project foi introduzido. Foi nessa época que a China decidiu usar um sistema de vigilância baseado em bancos de dados que teria a capacidade de acessar o registro de cada cidadão.

Com as relações com os EUA a piorar cada vez mais, a China aumentou a segurança dos sites que são usados ​​no país. Isso levou à introdução da restrição de vários sites e, eventualmente, o bloqueio de qualquer site que tivesse alguma coisa a ver com os EUA. O governo chinês empregou milhares de pessoas para garantir que os problemas de censura sejam tratados profissionalmente e a proibição de VPNs não seja violada em nenhum momento.

Consequências de usar uma VPN na China

Embora essa proibição seja bastante nova, algumas consequências já são visíveis. Uma coisa que podemos dizer com certeza é que as medidas mais drásticas são direcionadas àqueles que criam VPNs que não são aprovadas pelo país. Multas pesadas são aplicadas e alguns cidadãos foram enviados para a cadeia. Para os usuários, até agora, há casos de multas mais leves e a polícia solicitando que apaguem aplicativos VPN dos seus dispositivos.

Notas Finais

É importante notar que algumas VPNs podem ignorar o Grande Firewall da China. Elas não têm escritórios na China nem são controlados pelas autoridades chinesas. Os usuários ainda podem encontrar essas VPNs e usá-las. Desde que haja uma conexão com a Internet para baixar o software VPN e um método de pagamento, existe uma maneira de adquiri-las.

Mas, ao mesmo tempo, também pode ser uma coisa arriscada de se fazer. Antes de comprar a VPN, o usuário ainda está desprotegido, e a busca online por uma VPN proibida pode atrair a atenção de quem está monitorando. Alguns usuários chineses tiveram problemas com a lei devido a isso.

A solução mais segura parece ser quando o usuário chega ao país já com uma VPN, em vez de comprar uma lá. Dessa forma, a conexão do usuário está criptografada desde o início.

>