O seu IP não está protegido: 54.198.205.153

Mudar configurações da VPN

Às vezes temos perguntas dos nossos leitores sobre as configurações da VPN, e quais devem ativar. Muitas pessoas têm um pouco com medo de fazer mudanças porque não percebem. Eles baixam o software e, a partir desse momento, só ativam e desativam a VPN. Dessa forma, a VPN ainda lhe dá uma conexão encriptada e um endereço de IP diferente. Mas se você não selecionar algumas ferramentas úteis, não estará aproveitando todo o potencial que uma VPN moderna oferece. Por isso fizemos este post, dirigido a iniciantes, para explicar quais são os recursos VPN que você deve ativar.

O VPN Kill Switch

Essa é uma ferramenta muito importante que você deve sempre ativar. Em poucas palavras, se a VPN tem um problema e tem uma desconexão momentânea, essa ferramenta vai matar toda a conexão com a Internet. Isso evita que o seu endereço de IP real seja exposto enquanto a VPN não está funcionando. Por exemplo, se você estiver baixando um arquivo torrent e a conexão VPN cai, o torrent irá parar de baixar. Você não terá Internet até que a VPN esteja funcionando novamente. Isso não acontece muitas vezes, mas é possível. Portanto, essa é uma funcionalidade muito útil que garante a sua segurança em todos os momentos. Se você quiser ler um pouco mais sobre o Kill Switch, então verifique o artigo que escrevemos sobre esse assunto.

A maioria das VPNs modernas, como por exemplo o PureVPN, vem com esse recurso incluído, mas normalmente tem que ativá-lo você mesmo. Está sempre localizado na área de opções do software da VPN. É muito fácil de encontrar, eles normalmente chamam esse nome exato, o Kill Switch. Você só tem que selecionar essa caixa.

A Proteção de Vazamentos de DNS

Os vazamentos de DNS são uma das maiores ameaças ao anonimato, mesmo quando você se sente protegido. Essa é a forma que os provedores de serviços de Internet usam para poder registrar a atividade dos seus usuários.

Basicamente, o Sistema de Nomes Dinâmicos (DNS) funciona da seguinte maneira: quando você digita um endereço de um site no seu navegador e pressiona enter, há uma solicitação ao servidor DNS para traduzir esse endereço em números, o endereço IP. Naturalmente, essa ação é executada pelos servidores DNS do seu fornecedor de Internet, e é assim que eles conhecem a sua atividade.

Quando você usa uma rede privada virtual (VPN), as solicitações de DNS supostamente devem ser feitas através dos servidores DNS dessa VPN. Você deveria estar protegido pelo túnel criptografado dessa VPN, não permitindo que o provedor de Internet veja suas solicitações de DNS. MAS, infelizmente, não é tão simples! O problema é que, na maioria das vezes, o Windows usa as configurações padrão e continua enviando as solicitações de DNS através do provedor de Internet. Dessa forma, não importa se você está usando uma VPN … o seu provedor ainda pode ver essas solicitações de DNS. É por isso que é crucial ativar essa opção, para garantir que ela substitua as configurações padrão do Windows, certificando-se de que as solicitações de DNS são encaminhadas pelos servidores DNS da VPN.

Esse recurso é fácil de identificar, e também está localizado na área de configurações de cada software VPN. Para certificar-se de que ele está funcionando corretamente e não há vazamentos DNS, você pode visitar sites como dnsleaktest.com e ver com os seus próprios olhos.

Desativar o Tráfego IPv6

Em poucas palavras, o protocolo IPv6 foi feito para substituir o IPv4, que ainda é o protocolo de Internet que está sendo usado. A razão para isso é o rápido crescimento da Internet e o número de endereços de IP. A diferença entre eles é que o IPv4 tem 32 bits, o que torna possível ter uma capacidade de 4,3 bilhões de IPs. Por outro lado, o IPv6 tem 128 bits de comprimento, o que lhe dá uma capacidade de trilhões de endereços IP únicos.

O IPv6 ainda não é muito popular ea maioria das redes VPN está configurada para IPv4. Devido a isso, ter IPv6 ligado com uma VPN configurada para encriptar IPv4 pode causar vazamentos de tráfego de IPv6. No futuro, o novo protocolo será mais usado, e as VPNs serão reconfiguradas para ser compatíveis com ele. Mas por enquanto, é aconselhável desligar o IPv6, para evitar qualquer risco.

A maioria das VPNs tem essa opção nas suas configurações, basta selecioná-la. Mas algumas VPNs não incluem essa ferramenta. A razão é porque é possível desligar o IPv6 manualmente em seu sistema com apenas alguns cliques, e alguns provedores não vêem a necessidade de incluí-lo nos seus softwares.

Visite ipv6leak.com e verifique se você está vazando. Se você quiser desativá-lo manualmente, essas são as instruções: para o Windows, você pode verificar como desconectá-lo aqui. Se você tem Mac, por favor, vá a essa página.